terça-feira, 4 de julho de 2017

Cuidados Com Filhotes de Guppies

Zoom: A+ A-
Procedimentos necessários do nascimento aos primeiros 15 dias de vida dos alevinos:
Após o nascimento dos alevinos , a primeira coisa a se fazer e retira-los do aquário onde estão com a mãe ou da maternidade e separá-los num recipiente se possível transparente ( pode ser garrafa descartável cortada tipo copo) e imediatamente deixar este recipiente boiando dentro do tanque a ser povoado por eles. Dentro deste copo eles se aclimatarão ao novo ambiente enquanto o saco vitelineo acaba de ser absorvido .


Detalhe de alevino (figura acima) ainda com o saco vitelínico e (abaixo) após absorção completa. O alevino na foto inferior apresenta-se desnutrido. Em aquários a maior causa de mortalidades das crias deve-se a falta de alimentação adequada. O aquarista precisa compreender que o alevino passa por uma fase de transição durante o processo de absorção do vitelo onde a partir do momento em que está apto a realizar a abertura da boca já deve receber oferta de alimento. A dica seria iniciar a oferta de alimento (ração para alevinos, nauplios de artemias e rotíferos) um pouco antes de finalizar a absorção do vitelo, pois há uma melhora na taxa da sobrevivência. Deve ainda oferecer várias vezes ao dia, porque é alta a taxa do metabolismo dos peixinhos nesta fase de vida.

A primeira alimentação é muito importante e para induzir os filhotes a se alimentarem nada melhor do que alimento vivo. Muitos filhotes morrem de inanição por não se acostumarem a comer ração pois trata-se de um alimento seco e sem estimulo para eles. O melhor é a alimentação com náuplios de artémia (melhor alimento) e paralelamente poderá ser dado também microvermes. Alguns dão infusórios, porém estes sujam bem a água podendo assim trazer problemas futuros tais com fungos ou parasitas.
1º alimento: Coloco um pouco de náuplios para eles dentro do copo cinco horas após terem sido separados , assim neste ambiente de pouco espaço eles acabam devorando os mesmos ( cuidado com excessos – tudo deve ser devorado até no máximo de cinco minutos) .
2º alimento: Após 6 horas da primeira alimentação insiro nova porção pequena de náuplios , podendo ser inserido também o microverme que até dura mais tempo vivo.

Quinze horas depois eu solto os filhotes no novo ambiente, já com filtro interno, água descansada e virgem, sem pedras e sem plantas . O aquecimento deverá ser constante em média de 28 ºC, PH de 7.0 a 7.2 e DH em torno de 1 .
Calendário diário de alimentos: Para filhotes o alimento demora cerca de 30 minutos até ser digerido. Teoricamente podemos alimenta-los em pequenas doses a cada 30 minutos, porém o tempo gasto para isso é impossível para qualquer pessoa que tenha outra actividade. No meu caso eu dou em média 3 a 4 porções de alimento por dia:
às 7:30 AM
às 12:00 AM
às 17:00 PM
às 20:00 PM.
Procura variar ao máximo as alimentações. Nos primeiros 5 dias dá preferência a alimentos vivos e no caso pode ser dado microvermes e artemias. Após 5 dias insere aos poucos ração bem fina. Compra ração de boa qualidade e bate no liquidificador e peneirando-a em malha bem fina. Dá ração em média 2 vezes ao dia . O restante continua sendo alimento vivo.
Esta provado que a maior mortalidade está nos primeiros 15 dias de vida, se o criador tiver estes cuidados a perda poderá variar de 0 a 5% até estágio adulto. A primeira alimentação do dia é a mais importante por isso dá sempre o que há de melhor – Artemias.
Trocas de água
No caso dos filhotes, sabe-se que eles excretam um hormônio que inibe o crescimento do concorrente, pela própria lei de competição da natureza. Este hormônio permanece activo na água. Um amigo, criador de acarás bandeira e discos fez a seguinte experiência. Em duas crias de acará bandeiras nascidas no mesmo dia ele colocou cada uma em um aquário distinto. Num ele trocou periodicamente a água em torno de 40 a 50% semanalmente. No outro ele quase não efectuou a troca da água. O alimento era o mesmo e nas mesmas doses. Mesmas condições de luz, temp., PH, DH etc. Após 4 meses ele verificou que no aquário onde foi feita a troca parcial os peixinhos cresceram uniformemente todos basicamente do mesmo tamanho , em compensação no aquário onde não foi feita a troca parcial , os peixes estavam disformes em tamanho , alguns poucos do tamanho dos peixes do outro aquário e a maioria menor com dimensões variadas. Nos guppies acontece o mesmo até à fase final de crescimento que gira em torno dos 7 meses de vida.
Concluímos então que a presença deste hormônio inibe o crescimento dos filhotes. Por isso é necessário a troca de no mínimo 40% da água semanalmente. Existem criadores que trocam menores quantidades porém diariamente diminuindo assim o tempo para o crescimento até o estágio adulto. Outro factor importante para troca parcial é a retirada dos excrementos , evitando assim a formação de um ambiente propicio a proliferação de parasitas, fungos e bactérias ainda mais mortais para os alevinos.
A maior dificuldade é a troca parcial ou sifonamento do aquário dos alevinos recém-nascidos por serem pequenos e fáceis de serem sugados e também por estarem ainda na fase crítica de sobrevivência. O ideal é fazer-se a primeira troca parcial com 12 dias de idade (fase em que eles estão mais resistentes a qualquer variação) por isso é necessário que a água do aquário em que eles foram inseridos ser virgem. Esta troca pode ser feita com mangueira fina ou mesmo uma mangueira normal com peneira na ponta para se retirar possíveis filhotes acidentalmente sugados. O filtro deve ser limpo a cada 15 dias.

Caso a pessoa queira alimentar os filhotes mais vezes ao dia não existe nenhuma contra indicação, muito pelo contrário, assim ele aumentará a velocidade de crescimento dos mesmos devendo ter somente a dois cuidados especiais:
1 – Excessos de alimento podendo trazer assim problemas intestinais aos alevinos;
Cuidados especiais com a água, devendo assim aumentar a taxa semanal de troca parcial para 2 a 5 vezes dependendo do número de vezes em que ele irá alimentá-los.
Alimentos como patê de Gordon podem ser inseridos no cardápio desde que sejam de granulometria compatíveis ao tamanho da boca dos filhotes e após os 15 dias de idade (os excessos devem ser imediatamente sifonados para este caso, por se tratar de um alimento que se deteriora rapidamente e com ele a qualidade da água dos peixinhos).
Dimensões de aquários para os filhotes
O aquário dos filhotes deverá ter no máximo 20 cm de altura, a largura e o comprimento podem variar de 15 cm de largura até 30 a 40 cm de comprimento Sabe-se que o mais importante é a área de superfície do mesmo. O tamanho é um factor que influencia no crescimento, pois quanto maior o tamanho, mais rápido é o crescimento . Porém em aquários muito grandes, além da dificuldade de espaço existe o problema do manejo do mesmo. Se o criador fizer as trocas parciais e seguir o cardápio alimentar a risca, a diferença de crescimento de um aquário para um tanque são pequenas, não compensando a perda de espaço. Porém se o criador tiver condições de ter tanques maiores, aconselho que os filhotes sejam soltos após a separação de sexo dos mesmos, em torno de 2 meses de vida. Assim eles poderão crescer sem perigo de serem inseminados por peixes de qualidade inferior. Muitos criadores usam tanques imensos para criação de guppies porém se o cuidado da separação de sexos e selecção genética não for tomado, em poucas gerações ele perderá todo o potencial genético de sua linhagem

0 comentários :

Postar um comentário

Este blog não é destinado apenas para adultos, portanto não seram admitidos propagandas, linguagem impropria, ofensiva ou obsena que caracterize atitudes evidentes de desrespeito ou grosseria e/ou nada que a desperte curiosidade ou a atenção de menores ou contribuir para que eles adotem valores morais ou hábitos incompatíveis com a menoridade.
As pessoas que inflingir estas regras serão denunciadas ao setor de analize de conteúdo do Google podendo ter sua conta encerrada permanentemente.